quinta-feira, agosto 11, 2005

são falácias, senhor, são falácias

Provavelmente pressionado pela incómoda insurgência civil contra o Plano de Infraestruturas Prioritárias (compilada aqui por José Pacheco Pereira no que à blogesfera diz respeito), o Governo parece assumir mea culpa e prepara-se para encomendar (a posteriori) os ditos estudos que terão estado (à laia de um regresso ao futuro) na base da decisão ponderadíssima de investimento público.

Quem parece estar à margem de tudo isto (como de tudo o resto que a sua pasta ministerial contempla), é o Ministro da Obras Públicas, que segundo fonte próxima se terá mesmo irritado com os colegas de Governo, reclamando que a “Falta de informação sobre Ota e TGV é mentira descarada”. Ou pelo menos fê-lo em jeito involuntário de quem se não apercebe do regresso do boomerang.

De facto não se entende o problema levantado em torno desta questão. Não é que, de acordo com Mário Lino, "o novo aeroporto foi sujeito, em 1998-1999, a uma avaliação de impacto ambiental, que abrangeu previsões de tráfego, localizações alternativas, impactos económicos e sociais". Resta saber, nos seis anos e meio que entretanto já se passaram, quantas das previsões se confirmaram. E por isso qual é o ponto de partida actualizado ao tempo que hoje corre - ou seja: façam-se novos estudos que, no seu mínimo, corroborem os do Sr. Ministro.

Tudo isto é anedótico. E ainda há quem tenha a veleidade de protestar, no seu mau jeito veemente para manobrar este brinquedo periogoso sem marca CE que são os boomerangs opinativos, que tudo isto são falácias.

1 Comments:

At 3:28 da tarde, Blogger PP said...

Boas Nuno,

passa no meu!

Tenho lá um enigma que penso seja do agrado do teu espírito científico e persistente...






Tou embatucado no nível 6...é preciso conhecimentos da linguagem de código ASCII.

Abraço

 

Enviar um comentário

<< Home